#AColaboradora: Cais da colaboração, por Leo Foletto
21708
portfolio_page-template-default,single,single-portfolio_page,postid-21708,theme-stockholm,qode-social-login-1.1.2,qode-restaurant-1.1.1,stockholm-core-1.0.8,woocommerce-no-js,select-theme-ver-5.1.5,ajax_fade,page_not_loaded,vertical_menu_enabled,paspartu_enabled,menu-animation-underline,side_area_uncovered,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

#AColaboradora: Cais da colaboração, por Leo Foletto

“(…)Gabriel para de falar e todos abrem os olhos. É início da tarde de uma quarta-feira de maio em Santos, terceiro dia de imersão da Colaboradora, projeto do Lab Santista que, por hora, podemos dizer que busca criar um ambiente onde artistas, produtores e a comunidade aprendem juntos a solucionar os complexos problemas contemporâneos por meio da arte e da cultura. 14 pessoas foram selecionadas, por meio de chamada pública e escolha de alguns jurados, para passar 10 meses atuando na Colaboradora e no Lab Santista, localizado na rua Sete de Setembro, 52, região conhecida como Bacia do Mercado (Municipal). A imersão faz parte das boas-vindas aos integrantes do projeto oferecido pelo Instituto Procomum, organização responsável pelo Lab. Gabriel, ao lado de Débora e Raíssa, faz parte do coletivo Etinerâncias, facilitadores do processo; o que ele falou de forma mansa, enquanto caminhava pela roda, com seu sotaque carregado do interior de São Paulo, foram os desejos e sonhos que os próprios participantes da imersão apontaram, dois dias antes, para a Colaboradora. Mirar os desejos para o projeto e ouví-los realizados tem o poderoso efeito de fazer com que não pareça tão difícil alcançá-los. É como falar algo para si mesmo em frente do espelho; lembra a sua mente, e o seu corpo, de que realizar é possível, mas não vai ser fácil.”

 

+ Link