Tintas Naturais
3034
page-template-default,page,page-id-3034,qode-social-login-1.1.2,qode-restaurant-1.1.1,stockholm-core-1.0.8,woocommerce-no-js,select-theme-ver-5.1.5,ajax_fade,page_not_loaded,vertical_menu_enabled,paspartu_enabled,menu-animation-underline,side_area_uncovered,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.2,vc_responsive

CORpo | CORação | CORagem |

Cores…cores….cores….

As tintas naturais são formadas pela união de pigmentos + base, que dá a liga a composição. Elas são preparadas há milhares de anos, adaptadas as necessidades e possibilidades de cada local.

Os pigmentos são feitos dos mais variados elementos da natureza, como, beterraba, cebola, café, alçafrão, couve, cacau, urucum, cenoura, frutos, flores, folhas, raspas de troncos e pedras, terras das mais variadas tonalidades e etc.

Para a base, nós (do coletivo) utilizamos principalmente o Polvilho Doce, feito a partir da mandioca, que tanto encontramos no território. Mas também poderia outras farinhas e outros elementos.

A arte estimula os sentidos. E caminhar entre as comunidades tradicionais nos ensina a admirar a sabedoria sutil da transmissão de saberes.

As cores naturais são um convite ao despertar dos sentidos possíveis em meio a natureza e perceber as cores que ela nos proporciona!

Descobrir, o que na mata virá cor é uma vivência que inclui o tocar, o cheirar, o provar, olhar a vivacidade das cores, numa experiência de reconexão com saberes ancestrais e com si mesmo.

As cores visitam o corpo, as mãos, a língua, papéis e até as paredes das casas internas e externas.

As tintas naturais dialogam com integralidade, com o brincar, com o experimentar e a liberdade da criação, livre de tóxicos e efeitos colaterais.