SOBRE NÓS

Etinerâncias é o movimento de grande troca, de trabalhar e viver junto às comunidades tradicionais e espaços de resistência, trocando experiências e vivenciando saberes tradicionais e a tradição oral. Trabalhando com problemáticas sociais por meio de ações culturais, artísticas, educacionais e de saúde.
O trabalho que desenvolvemos vem sendo elaborado a partir da atuação diária, com a reflexão constante e inesgotável sobre nossa atuação e hoje já temos construído um percurso embasado e ao mesmo tempo flexível e criativo.
Viajamos por inúmeras comunidades, enfrentamos junto com elas suas problemáticas e saboreamos o que vem a ser o mote de todo projeto, a troca. Parceria entre saber e ciência é o nosso casamento diário, o olhar “multisaberes” é feito em muitas mãos, desde à criança até o idoso.

O território é o espaço socialmente e historicamente construído pelas pessoas, expressão da herança cultural do povo que o ocupa. A utilização do território pelo povo cria o espaço. São ações, sinônimo de espaço humano, espaço habitado. Apresenta elementos fixos, resultantes da ação homem e seu trabalho bem como relações sociais e diferentes formas de ocupação e produção.

Milton Santos

NOSSA PESQUISA E ATUAÇÃO

Nas áreas de Educação, Saúde, Arte e Cultura, trabalhar questões relacionadas as seguintes temáticas:
●  Território: poder e território apresentam relação antiga em nossa história enquanto país. Trabalhar com questões do território diz respeito a tocar um dos pilares que envolvem de modo subjetivo e material vários tipos de comunidades na América Latina. A partir da nossa experiência, grande parte das demandas dos locais permeiam essa questão.
●   Cultura Viva e imaterial da humanidade: compreendemos que os saberes tradicionais, oral, corporal, emocional e a ancestralidade são estruturantes no fortalecimento subjetivo, social, histórico e simbólico. Pela análise da história que é possível ferramentas palpáveis para compreender o momento presente e transformar o futuro. Ademais, estabelecer sentidos com próprio território possibilita discutir um modo de vida mais pautado na conexão com natureza e práticas de sustentabilidade.
●  Problemáticas locais: acreditamos na construção coletiva como estratégia de alcance e efetividade para mudança social, do modo de vida e de sustentabilidade. Para tal, pautamos o trabalho dentro das referências que já existem no espaço. Co-criamos soluções coletivamente a partir da realidade apresentada em cada grupo. E sabemos que o caminho possível é o da parceria.

NOSSA META

Objetivos específicos que seguem nas entrelinhas do trabalho

●  Facilitar desenvolvimento integral do ser humano;
●  Colaborar para transformação e desenvolvimento social e qualidade de vida;
●  Fortalecer o patrimonio simbólico e imaterial da humanidade, por meio da valorização dos fazeres e saberes tradicionais e o intercâmbio de conhecimento;
●  Colaborar com a criação de alternativas para modo de vida sustentáveis, solidários e permaculturais;
●  Fomentar parceria com a comunidade;
●  Participar no processo de enfrentamento coletivo das desigualdades e opressões;
●  Desenvolver nossas profissões de maneira itinerante;
●  Colaborar para a produção de conhecimento científico comprometido e relevante socialmente;
●  Viajar e conhecer diferentes povos e culturas;

COMO TRABALHAMOS

O método desenvolvido a partir da experiência

O método de trabalho é construir com cada comunidade seu projeto, o que torna os projetos únicos e específicos para atender problemáticas singulares. Um norte comum no método é o “como chegar”, primeiramente é feita uma rede de afetos. Com uma escuta atenta discutimos as necessidades locais, adentrando espaços cotidianos da comunidade. A ideação do projeto para cada comunidade acontece em parceria com ela, onde a implantação do que foi sonhado é feita de modo coletivo.
É importante pontuar sobre a rede de afetos, que na grande maioria dos casos, somos recebidos e acolhidos na casa das pessoas e ao longo de todo o processo montamos acampamento em suas comunidades, comendo, pensando e sonhando junto.
A relação de intimidade e vínculo nasce no dia a dia, e desta maneira, nós conhecemos a história de vida das pessoas, o cotidiano, vivências que ali estão guardados, a constelação afetiva e de serviços, desafios e conflitos que as pessoas enfrentam em suas buscas e sonhos individuais e coletivos. A escuta e a palavra tem se mostrado intervenções importantes dentro desses processos.
Assim, bem de pertinho, as pessoas nos conhecem e nos confiam o acompanhamento de uma fatia de suas vidas, e podemos juntos refletir quais as necessidades e de que maneira podemos somar ao processo deles.

Seguimos as seguintes etapas:

1º etapa: Chegada e acolhimento em espaço disponibilizado pela comunidade. Andanças, escuta e observação do território;
2º etapa: Aquecimento e Sensibilização- Reunião com a Comunidade. Levantamento de demanda, problematização e agrupamento de ideias;
3º etapa: Estruturação de projetos e sistematização do processo de trabalho e realização do projeto;
4º etapa: Celebração e feed back (trocas sobre o processo).